domingo, 4 de dezembro de 2011

CATIVEIRO DESTRUÍDO

Louvem ao SENHOR pela sua bondade e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens! Pois quebrou as portas de bronze e despedaçou os ferrolhos de ferro. (Salmo 107.15,16)

O primeiro homem, Adão, ao desobedecer à ordem divina de não comer do fruto proibido, levou os que dele descenderiam a ficarem para sempre separados do Senhor Deus. Com isso, nós, seus descendentes, eternamente estaríamos nas mãos do diabo, condenados ao suplício eterno. No entanto, por ser bom, o eterno Deus nos amou e proveu uma maneira de recuperar a humanidade e fazê-la provar da Sua bondade.


O Altíssimo não mediu esforços para executar Seu plano, e, para que tudo fosse feito legalmente (Rm 6.23), alguém teria de morrer no lugar do homem. Como não havia nenhum justo que pudesse cumprir esse desígnio, Deus escolheu entregar Seu único Filho. Então, por meio de um projeto que só o Pai celeste poderia idealizar, houve a encarnação do Seu Unigênito – nasceu Jesus, o qual veio quebrar as portas de bronze e os ferrolhos de ferro do império da escravidão.


Agora, apenas nos resta louvá-lO por esse ato de bondade. Ora, foi o amor de Deus que O fez ver em nós algo que nem entendemos. Então, se Ele Se predispôs a pagar tal preço, simplesmente devemos aceitar que Sua ação foi sábia. 


O que o Senhor fez por nós é descrito como maravilhas, sobre as quais a Palavra fala para que possamos entendê-las. É bom aprendermos sobre elas e reivindicá-las, pois, ao crermos nelas, nós louvaremos o Todo-Poderoso de modo correto. O sucesso que precisamos ter sobre as tentações e demais armadilhas do maligno depende de compreendermos o que foi feito por Jesus no Calvário – maravilhas realizadas em favor de toda a humanidade.


Além de nos ter substituído, pagando pelos nossos pecados, levando nossas doenças e lutando pelo direito de desfrutarmos da paz que excede todo o entendimento (Fp 4.7), Cristo venceu Satanás, quebrando as portas de bronze do cativeiro maldito. Por essa razão, hoje, ninguém precisa sujeitar-se aos desejos do inimigo, uma vez que foi quebrado tudo aquilo que nos prendia em seus laços de sedução e pecado, em suas armadilhas e seus desejos imundos.


Então, observe em sua vida o que o inimigo tem feito para escravizá-lo. Confesse isso ao Senhor e peça-Lhe perdão. Desse modo, você viverá o maravilhoso plano divino.


2 comentários:

  1. Bom dia querido Felipe,

    Tua postagem, hoje, é tão óbvia, tão natural, como a nossa própria sede.

    SERÁ QUE AINDA EXISTEM PESSOAS EM CATIVEIRO?
    MAS ELE JÁ FOI DESTRUÍDO, QAUANDO JESUS DEU SUA VIDA POR NÓS.

    De qualquer jeito, estás reforçando, aqui, que é necessário pedirmos perdão a Nosso Senhor, para alcançarmos a felicidade e o plano divino.

    Eu, regularmente, o faço, porque sou pecadora. Deus queira, que seja ouvida.

    EU SEI, QUE O PAI, O NOSSO PAI NUNCA NOS DEIXA DE ESCUTAR E DE NOS ACOMPANHAR NA CAMINHADA.

    Bom Domingo.

    Beijos de luz.

    ResponderExcluir
  2. OI Felipe, muito bonita essa imagem.


    Oi Felipe, que texto maravilhoso, me enche de alegria em ter o privilégio de ler. Jesus destruiu todos esses cativeiros, e ainda existem pessoas que vivem neles. Cito essa parte que você descreve claramente segundo o evangelho de (Fp 4.7).

    "Cristo venceu Satanás, quebrando as portas de bronze do cativeiro maldito. Por essa razão, hoje, ninguém precisa sujeitar-se aos desejos do inimigo, uma vez que foi quebrado tudo aquilo que nos prendia em seus laços de sedução e pecado, em suas armadilhas e seus desejos imundos".

    Como Deus foi bom com nós, enviou seu próprio Filho para que pudéssemos ter o direito a nossa salvação. Viu-o ele sofrer daquela forma carregando todos os nossos pecados, doenças, feridas, sendo mal maltratado, sendo ele seu próprio filho. Como as pessoas são cruéis nessa vida, mesmo sabendo disso tudo ainda não acredita no verdadeiro Deus, e ainda vive cativo. O perdão é a entrada que Deus permite pra vitória. Deus é maravilhoso, sou grata a todo instante de minha vida. Beijos grandes meu amigo e ótima semana.

    ResponderExcluir